Facebook

Jornal do Bairro Alto

Espaço do Leitor

Carta ao prefeito Gustavo Fruet

Jurema Turatti

Excelentíssimo Sr. Prefeito de Curitiba Gustavo Fruet,

Eu, JuremaTuratti, estou me identificando com todo respeito e responsabilidade pelos meus atos. Eu moro na Rua Alberico Flores Bueno, 2152, em frente ao Cemei (Rua Alberico Flores Bueno, 2173), Bairro Alto. Estou observando diariamente as mães sofrendo com as crianças por causa da sujeira na rua, água parada e lixo jogado pelos próprios moradores. Eu, como cidadã, recolho o lixo e deixo a frente de minha casa limpa, mas no dia seguinte o lixo volta.

Eu gostaria de saber se há um meio dos moradores se responsabilizarem pela calçada e meio fio e se tem como a Prefeitura fiscalizar e incluir no IPTU.

Lombada - Mães com crianças, idosos e doentes reclamam muito do perigo que é transitar pela Alberico Flores Bueno, que é uma rua preferencial e de muito movimento. Eu moro na casa nº 2152, possui muitas plantas e flores e a bandeira da Copa do Mundo. Desde março estou pedindo que a lombada seja repintada, pois está, praticamente, apagada.

Um abraço ao Sr. Prefeito e sucesso pelas dificuldades de lidar com o povo.

Atenciosamente, Jurema Turatti - 3367-7916/ 97812791

Na bronca total

Eloizio Zanardi - O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Vemos empresários e comunidade preocupados com uma rotatória na rua Konrad Adnauer, mas nada vemos em torno da nova trincheira que irá prejudicar os moradores da rua Fúlvio José Alice com obra avançando em seus imóveis para dar lugar à ruas de servidão. O IPPUC transformou a nova trincheira, numa quebra de braço com a Igreja Batista do Bacacheri e não está nem aí com a população do bairro que será prejudicada. Hoje se vê discussão sobre a rotatória da rua Konrad Adnauer, mas ninguém fala nada sobre os moradores do Higienópolis que com a nova trincheira terão de "rodar" mais de 1200 mts para chegar em suas casas. A nova ideia de se fazer a trincheira pela rua Anita Ribas/João Dalegrave e saindo na rua Sta Madalena Sofia simplesmente está sendo ignorada pelo IPPUC, apesar de nos parecer a melhor opção para todos.

Para se notar o descaso do IPPUC e a outros órgãos envolvidos, basta dar uma passadinha no inicio da rua Sta Madalena Sofia, onde existia o Restaurante Pato Branco, a oficina e a borracharia (foto). Ali, já está se transformando em um novo mocó, como se já não bastasse o que virou no antigo posto de gasolina ao lado da atual trincheira.

Eu tentei contato com o IPPUC sem sucesso. Já entrei em contato com o pessoal da Regional Boa vista solicitando providências quanto à demolição completa do que restou dos imóveis. Espero uma solução para este caso pois já foram vistos desocupados usando o local durante a noite e perturbando a vizinhança.

 

Cavalinho de Pau nas Ruas do Bairro

Gostaria de deixar expressa minha insatisfação em relação a dono de Chevette que sai pelas ruas perto do trevo do Atuba dando cavalinho-de-pau nas esquinas, para se exibir para os amigos. É uma situação perigosa, pois no local passam ônibus, caminhões, pedestres, etc.

Outros carros da região colocam som alto em seus veículos, como se tivessemos a obrigação de escutar seus gostos musicais. E saem cantando pneus no asfalto por centenas de metros.

Ponto negativo para o lava-car do início da Japurá, onde alguns destes baderneiros geralmente marcam para colocar o som alto e sair fazendo bobagens no trânsito.

 Obrigada ao Jornal BA pela atenção e pelas notícias úteis.

Ass: ANE S.

Vilinha

Acabei de receber o JBA e fiquei feliz com a reportagem sobre a Vilinha. Desde Dezembro estou tentando denunciar sobre o abandono do local, sobre a caliça jogada no córrego,a  espuma na boca da manilha, ciclistas na pista de caminhada, quase fui atropelada por uns 3 ou 4 que estavam apostando corrida na pista. Tentei o 156 por telefone e também pelo site e a resposta foi "não é conosco". A secretaria do meio ambiente, que me deu a mesma resposta, e também o IAP, que me deu a mesma resposta e me encaminhou novamente para o 156. Quanto aos ciclistas na pista de caminhada, o 156 me informou também que era com a DIRETRAN ou SENTRAN. Nem me lembro mais a sigla que informaram. Então fiquei muito feliz com a noticia que ao menos alguma coisa já está sendo feita para tentar melhorar a Vilinha,  pois ultimamente estou até com "medo" de frequentar o local devido ao abandono e consequentemente o perigo que corremos ao frequentar o local.

Att.

Herilene Pampolini

Hugo Irapuan Lacerda Werneck - Ruas de entrada do bairro

Gostaria de comentar as ruas de entrada de nosso Bairro, se dizem que a porta de entrada de uma casa diz como ela é por dentro, as entradas de nosso bairro nos diz que estamos muito mal,pois vejamos: A entrada pela Rua Dante Angelote,alem de não ter calçadas,tem ferro velho com carros arrebentados no lugar delas, o asfalto é precário, a rua Percy Feliciano de Castilho que continuação da Dante bem no seu início tem uma invasão (favela) com ferro velho de fuscas ocupando o que seria a calçada da rua e com carros, que estão aparentemente estragados, estacionados nos dois lados da rua. A entrada pela trincheira é bonita até duas quadras adiante pois a rua José Zgoda a partir da Rua Santa Madalena,vira um lixo,pois não tem calçadas e o anti-pó é só remendo. A Rua Konrad Adenauer também não tem calçadas e o asfalto devido ao movimento está deteriorado.

A Rua Brasilio de Lara também é outra com asfalto deteriorado pelo movimento e calçadas deficientes. As únicas que estão em razoaveis condições são as Ruas Santa Madalena Sophia e a Alberico Flores Bueno. Está na hora de pressionarmos a Prefeitura para tomar uma providencia.

Rua Antonio Cândido Cavalin, 43 - Sala 01 - Bairro Alto - Curitiba - Paraná

CEP 82820-300 - Fone: 41 3367-5874