Educação a distância, veja os desafios que escolas enfrentaram durante a pandemia

Durante a pandemia causada pelo Covid 19 diversas escolas tiveram que suspender as suas aulas presenciais, medidas que o governo encontrou com o objetivo de diminuir e conter a propagação global da pandemia. De acordo com pesquisas de Cursos Online, mais de 1,5 bilhão de estudantes em 160 países não recebem educação presencial.

Os dados representam mais de 90% de todos os alunos do planeta. Dentro do Brasil, a legislação atual não permite a educação básica na modalidade EAD. Porém, dada a emergência de saúde pública, alguma flexibilidade foi posta em prática para que os alunos possam continuar suas aulas com a ajuda de suporte instrucional remoto e a introdução de novos métodos suportados pela tecnologia digital.

A mudança repentina do aprendizado presencial para o remoto com pouco planejamento criou vários desafios para administradores, professores e alunos, dificultando o aprendizado fora da sala de aula.

Como a pandemia afetou o sistema de ensino?

Segundo a BBC, 165 países tiveram que fechar escolas com o objetivo de reduzir o risco de contágio do vírus que foi causado pela Covid-19. As medidas de segurança interromperam as aulas presenciais para 1,5 bilhão de alunos e mudaram a vida diária de 63 milhões de professores do ensino fundamental.

A mudança na modalidade de ensino tem implicações para os alunos do ensino universitário e das instituições de ensino básico. A educação online possibilitou que diversos alunos continuassem seus estudos, transformando um modelo inicialmente visto como uma substituição temporária em uma nova realidade de ensino, implementando o blended learning.

No entanto, adaptar-se a um novo formato de ensino após centenas de anos de ensino presencial não é tarefa fácil. A escola passou por um processo de adaptação aos diferentes departamentos para que todas as atividades que antes só eram possíveis de forma presencial também possam ser feitas remotamente.

Você sabe quais são as principais dificuldades que são encontradas dentro da educação online?

Destacam-se os esforços de escolas e professores para manter a qualidade do ensino na educação online. No entanto, alguns desafios permanecem no processo de transformação. Afinal, a tecnologia está pouco presente no modelo de ensino presencial das instituições de ensino fundamental.

Como resultado, não são apenas os alunos que não estão familiarizados com o ensino remoto. Mas, também, os professores precisaram se adaptar ao processo, pois os processos formativos tradicionais não têm focado em disciplinas que utilizam ferramentas digitais em sua prática docente.

Veja as principais dificuldades encontradas dentro do EAD.

Metodologias obsoletas

As aulas online diferem das aulas presenciais por diversos fatores, entre eles a interação e troca de experiências proporcionada pelos espaços escolares, atividades dinâmicas, o ambiente personalizado e o uso de laboratórios.

Com a prática online, fica mais difícil passar parte do conteúdo da disciplina de cálculo com a mesma eficiência com que os professores só lidam em sala de aula há anos.

Portanto, os professores enfrentam limitações e dificuldades na comunicação de temas aos alunos por meio de simples videoconferências.

Nesse sentido, os métodos de ensino precisam ser adaptados às plataformas online, e fazem com que exista uma aprendizagem e engajamento de alunos e de professores.

O novo desafio para as escolas, portanto, é buscar novos planos de aula que envolvam totalmente os alunos, tragam atividades interativas e inspirem o desejo dos alunos de se envolverem com o que é apresentado, mesmo sem o incentivo dos colegas presentes.

Difícil de obter e manusear a tecnologia

A educação online apresenta o desafio de aprender a aplicar atividades e compartilhar materiais educacionais usando ferramentas digitais. Nem professores nem alunos estão acostumados a usar essas plataformas, e portanto existem diversas dificuldades de processamento e conectividade em salas de aula remotas.

Durante a adaptação ao novo formato de ensino, observa-se um declínio na qualidade da sala de aula, pois nem todos os alunos e professores estão no nível de conhecimento dessas ferramentas.

No entanto, à medida que o uso de plataformas se tornou mais rotineiro, todos passaram a utilizar o sistema de forma mais silenciosa, e a aceitação das ferramentas pelos envolvidos no processo de ensino aumentou, possibilitando práticas de ensino mistas em múltiplas instituições de ensino.

O EAD é comum em diversas universidades que oferecem Cursos Online e, à medida que a pandemia muda os métodos de ensino, um modelo híbrido deve ser instalado.

Mudanças no processo de avaliação

No processo de ensino, a avaliação é a base para medir a eficácia dos métodos de ensino adotados pelos professores. No contexto de uma pandemia nacional que impulsiona o ensino à distância, educadores e instituições são desafiados a ver as avaliações como diagnósticos e não como triagem.

Tais mudanças exigem, portanto, que o processo de avaliação seja totalmente contínuo e diversificado, diante das limitações e das novas possibilidades oferecidas pela sala de aula digital.

Mantenha-se produtivo

Os alunos que enfrentam os seus próprios desafios devem saber lidar com o ensino a distância durante a pandemia. Afinal, manter o ensino remoto requer uma quantidade razoável de disciplina, responsabilidade e compromisso para lidar com vilões ineficazes no aprendizado. A Internet oferece uma grande variedade de conteúdos que podem ser uma verdadeira distração para diversos estudantes de todas as faixas etárias e níveis de ensino. Diante disso, o desafio para os educadores é entregar conteúdos estimulantes de forma que se conectem com a realidade dos alunos.

Dificuldade para acessar o aparelho pela internet

Dentro do ensino remoto, o acesso à internet é essencial para que as crianças e os jovens possam ter o bom acesso a aulas online e acessar assim os devidos conteúdos dentro da internet, visando garantir a continuidade do aprendizado.

Porém, infelizmente, essa não é a realidade para todos. Pesquisas mostram que cerca de 4,8 milhões de jovens entre 9 e 17 anos não têm acesso à Internet em casa. Impossibilitando assim o ensino remoto na vida deles.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Certificado Cursos Online, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre cursos, educação e diversos segmentos.

 

Artigo Anterior Eleições no Punjab marcam um divisor de águas para a democracia indiana